heroes-1453

Nova ofensiva contra sites ilegais de legendas e downloads reacende discussão na internet brasileira, mas não promove solução para a situação.

Em nova investida da Associação Antipirataria Cinema e Música (APCM), diversos sites brasileiros que forneciam legendas gratuitamente foram retirados do ar recentemente. Em represália, o site da instituição foi invadido por hackers. Dias depois, os sites alvo da ação retornaram à atividade plena em novos servidores (“juridicamente seguros”, de acordo com os proprietários) e assim terminava mais um round de combate à pirataria digital no Brasil. Resultados práticos: movimentação pesada na blogoesfera em defesa aos sites ilegais, enquanto as entidades de proteção à propriedade intelectual mostram que continuam lutando contra a disponibilização de vídeos e legendas de forma não-oficial. E só.

SOS Hollywood entrevistou os envolvidos na polêmica e traz reportagem exclusiva sobre o combate à pirataria, alguns números dessa guerra e os argumentos dos dois lados. Demorou mais de uma semana, mas finalmente todas as entrevistas aconteceram e aí vai a matéria.

De acordo com a APCM, em seu último balanço anual, somente em 2008, mais de 41 milhões de CDs e DVDs piratas foram apreendidos e destruídos no Brasil, fruto de 3.600 ações de combate à pirataria. Esse dado representa um aumento de 14% em relação às apreensões de 2007. Entretanto, entidades como a Motion Picture Association (MPA), e APCM continuam pressionando o fronte virtual. A primeira grande ofensiva aconteceu em 2006, quando o portal LostBrasil precisou retirar do ar downloads e links ligados a arquivos contendo episódios e suas respectivas legendas, depois que a Adepi comunicou o provedor sobre a presença de conteúdo ilegal em seus servidores.

A retirada temporária do site causou indignação, mas nada se compara ao ocorrido há duas semanas. A APCM retirou do ar cerca de cinco sites que ofereciam legendas. O primeiro deles foi o Legendas.tv, cuja remoção provocou grande movimentação popular de apoio na blogosfera e – provavelmente – inspirou hackers a invadirem o site da entidade, inserirem uma mensagem de apologia à pirataria e redirecionar o visitante para o mininova.org, endereço de torrents. Outros sites envolvidos na ofensiva da APCM foram: InSubs, Legendado.com.br, OpenSubtitles e LegendasDivix.

A confusão toda já começa com a definição do que é pirataria. Entidades invocam o uso indevido de conteúdo protegido por lei, enquanto os legendadores reclamam de arbitrariedade e culpam a desatualização da legislação. Afinal, o que é pirataria no caso dos sites de legenda? De acordo com Marcio Gonçalves, diretor antipirataria para a América Latina da MPA, “O filme[série] está protegido pela lei de direito autoral e sua reprodução é uma violação à lei 9.610/98. Se houver intuito de lucro, direto ou indireto, esta violação passa a ser também crime previsto no código penal com pena de 2 a 4 anos e multa. A tradução e legendagem de uma obra cinematográfica [ou televisiva], depende da autorização do autor, pois é uma transcrição ou adaptação do roteiro e portanto, constitui violação”. Ou seja, para as entidades, o problema está na manipulação indevida e desprovida de autorização, seja para fins de consumo próprio ou para acalmar os ânimos de “clientes insatisfeitos com o modelo atual de comércio de entretenimento e cultura”, conforme classificou uma porta-voz do site Legendas.tv, que optou por não revelar sua identidade.

Para o Legendas.tv, “é preciso rever o que é ‘ilegal’, pois não é um site que está contra a lei. É o comportamento de milhares de pessoas [que está contra a lei].” O site é produzido por três administradores e cerca de 30 equipes, que envolvem centenas de tradutores amadores. Um dos argumentos utilizados pelos defensores das legendas e downloads envolve o fato de o trabalho não prever remuneração, logo, ser classificado como uso pessoal, com base no Artigo 46 da Lei de Direitos Autorais. “A reprodução, mesmo sem intuito de lucro, sem autorização do autor constitui uma violação da lei de direitos de autor, com sanções cíveis de até 3.000 vezes o valor da obra”, explica Gonçalves. “Disponibilizar obras na internet para milhões de pessoas com acesso ilimitado e irrestrito não pode ser considerado uso privado. As ações da MPA/APCM visam proteger as obras de seus associados distribuídas ilegalmente na internet, causando prejuízos a milhares de pessoas”. Um dos maiores pontos de interesse das ações de proteção ao mercado de entretenimento é a situação complicada que enfrentam as locadoras de vídeo, cujos fechamentos estimam-se superiores a 2.000 lojas nos últimos dois anos, de acordo com a APCM.

O mercado de home entertainment, aliás, enfrenta problemas há um bom tempo e há muita preocupação dentro das companhias para encontrar novas maneiras de manter sua clientela. Porém, se aqui nos Estados Unidos o Netflix e similares já ganharam a guerra e a Blockbuster perdeu muito terreno, embora ainda mantenha sua identidade (diferente do triste destino no Brasil depois da aquisição da marca pela Americanas), há pouca esperança para o mercado brasileiro, cuja capacidade de consumo – embora grande e essencial para as distribuidoras – é muito inferior ao norte-americano. As companhias, porém, sabem utilizar o recurso da internet como arma quando necessário. Um dos casos mais celebres é o de Heroes, lançamento da Universal Home, que apostou na força da internet e na disseminação da série por via dos downloads como força de marketing para convencer donos de locadoras e até mesmo sua equipe de vendas. O resultado de vendas foi inquestionável e o conseqüente sucesso no Universal Channel também colheu frutos.

O Universal Channel foi um dos primeiros canais a reconhecer a importância desse formato. “As pessoas que baixam as séries são formadores de opinião, ajudam a série a ficar conhecida, despertam a curiosidade de quem tem TV paga. E é um processo irreversível, a TV tem que se acomodar a isso”, afirma Paulo Barata, diretor do canal, em entrevista ao portal Globo.com

“O detentor de direito autoral pode utilizar a estratégia comercial que lhe parecer conveniente e cada companhia tem sua estratégia para cada produto”, comenta Gonçalves, que desconhece a estratégia adotada pela Universal Home. “Se aconteceu desta forma, os direitos dos produtores, artistas, roteiristas, etc… estava preservado”. Pode estar no envolvimento oficial uma luz no fim do túnel? Cada vez mais fica claro que a solução para o problema está nas mãos dos canais de TV e distribuidoras de home entertainment, afinal, é deles o interesse em vendas maiores e na fidelização de um público que, claramente, discorda da janela de lançamentos entre o mercado norte-americano e o brasileiro. É uma das opções, porém, a mesa de negociações está vazia atualmente, pelo menos por parte da APCM.

De acordo com a entidade, “MPA e APCM não se envolvem em estratégias comerciais. Os estúdios buscam lançar o mais rápido possível. A pirataria, no entanto, só faz com que este prazo aumente, pois o titular do direito não terá interesse comercial em lançá-lo no país se não houver retorno financeiro e quanto mais pirataria, menor é o mercado legal potencial. Oferecer diferenciais também é uma alternativa e já se observa isso em alguns produtos, mas tudo isso, depende de cada produtor para cada filme. É uma estratégia individual de cada companhia”. É aqui que os sites de legendas batem de frente com a APCM, conceitualmente, pois os envolvidos na produção de legendas e downloads acreditam na sua força como divulgadores dos mesmos produtos.

Para o Legendas.tv não resta dúvidas de que “Heroes explodiu em popularidade na internet (por meio de sites de legendas e downloads) e reuniu milhares de fãs em pouquíssimo tempo. Sabendo disso, os executivos das distribuidoras investiram e lançaram a série mais rapidamente no Brasil, já com garantia de sucesso”. A fidelidade do fã de internet é a maior das armas vislumbradas pelos sites, mas toda essa fidelização não é vista com bons olhos, afinal, o consumo de produtos licenciados de forma não-oficial causa prejuízos e, legalmente, pouco importa se o consumidor também é assinante da TV a cabo ou se compra Box de DVD original mais tarde. A polêmica está na análise focada nesse trecho do processo e não nos demais pontos envolvidos no hábito de consumo de entretenimento cultural.

A APCM afirma ter “inúmeras evidências que mostram cópias piratas obtidas em salas de cinema da Rússia [via camcorder], por exemplo, e utilizando legendas feitas no Brasil”. Toda essa precaução e agressividade são reflexos diretos dos números dessa guerra. Anualmente, estima-se que o Brasil sofra prejuízos em torno de US$ 198 milhões (dados da APCM), e a internet responde por 30% desse total (aproximadamente US$ 59,5 milhões). “O maior problema ainda é o DVD físico, que é reproduzido a partir de conteúdo pirateado no exterior (embora os lançamentos mundiais façam com que o Brasil também possa originar tais cópias) e complementado com legendas de sites como este que foi retirado do ar [Legendas.tv]”, revela Gonçalves, que confirmou a existência de duas ações antipirataria em andamento por conta dos filmes nacionais Meu Nome Não é Johnny [cujo infrator foi identificado e processado] e Se Eu Fosse Você 2, que foram amplamente vendidos por camelôs em diversas localidades brasileiras.

No período em que outro grande site de legendas ficou fora do ar, o comércio de DVDs piratas não desaqueceu. Além dos laboratórios de fabricação de DVDs, havia laboratórios de legendagem. Não negamos que, às vezes, nossas legendas sejam indevidamente utilizadas nestes DVDs, mas este comércio ilegal se mantém sem a nossa ajuda”, argumenta o Legendas.tv. A APCM contra-ataca: “nosso trabalho é permanente e sites que utilizarem obras de nossos titulares com violação de direitos de autor serão removidos e as medidas legais cabíveis serão tomadas. Em alguns casos, são feitas investigações mais profundas, além da remoção dos links ou conteúdo ilegal, para identificar o responsável e instaurando inquérito policial por pirataria”.

Embora o Legendas.tv não represente os demais sites envolvidos na polêmica, fica clara a disparidade de conceitos entre os fãs e as entidades de proteção. “É necessária uma revisão e atualização da lei, pois enquanto isso não for feito, cada vez mais, pessoas serão vítimas de ações arbitrárias”, defende o site, que afirma ter tentado contato prévio com a APCM para iniciar uma relação diplomática, mas não encontrou canal aberto com a entidade. “A APCM nem chegou a dizer qual material era considerado ilegal”. De acordo com a entidade, “todo o conteúdo ilegal foi listado e enviado ao provedor de internet que, observando a legislação, removeu os links” [e, conseqüentemente, o site].

Sites consideram as pressões legais como arbitrárias; entidades se baseiam em leis que, embora inadequadas para a internet, ainda regem o país e vivemos um impasse. Seguindo a lei, a prática de download, streaming não-autorizado e a divulgação de legendas (se é para consumo próprio, para que divulgar aos quatro cantos?) é ilegal. Contrapondo com o argumento dos sites, a janela de lançamentos realmente poderia ser menor e o Brasil só perde com todo esse distanciamento com as estréias norte-americanas. Entretanto, não é no constante desafio às leis e as táticas de guerrilha que está a resposta a essa situação. Se o caso de Heroes ganhou conotação legal por conta do envolvimento da Universal, por que não dedicar esforços a repetir o formato, em vez de disputar uma luta inglória para provar que as leis estão erradas? Disso todas sabem, pois todo o sistema jurídico brasileiro requer revisão e atualização e, no caso da internet, criação adeqüada.

Os sites estão errados, legalmente falando. Ponto. As entidades fazem sua parte. Poderiam tentar um diálogo? Sim, seria a melhor saída, mas MPA e APCM usam a legislação disponível e não adianta os advogados defensores dos downloads/legendas gritarem na internet. Façam isso da forma e no ambiente em que surtirá efeito, ou poupem nossos ouvidos. Se há tanta certeza de seus argumentos, provem que as entidades estão erradas. Uma vitória jurídica vale mais que mil artigos em blogs e sites. Isso me lembra muito a discussão das “rádios comunitárias”, há uns 15 anos. Todos acham que estão corretos, mas poucos faziam algo para buscar legalidade. Quem conseguiu hoje tem rádios pequenas, mas legais e funcionando dentro dos padrões nacionais. Uma solução precisa ser encontrada e falação de fachada não leva a nada. Ação é o que resolve esse tipo de coisa.

Há uma semana, conversava com Ale Rocha, do Poltrona, e falamos sobre o Terra transmitir episódios de séries do Sony Entertainment Television (Grey’s Anatomy, se não me engano) como tentativa de diminuir a pirataria. Esse parece ser o caminho, soluções oficiais que reduzam a janela e acabem com a necessidade de tanta gente, em tantos sites, dedicarem grande parte de suas vidas a “fazer justiça… Oops, legendas… Com as próprias mãos”. Tudo isso existe por diversão. Na hora que começa a envolver ações jurídicas, processos e ameaças, a diversão acaba. A não ser que alguém esteja disposto a revolucionar o mundo e “desafiar o sistema” usando legendas e downloads.

Reportagem: Fábio M. Barreto

Anúncios
comentários
  1. Eu acho que as distribuidoras deveriam lançar as séries na mesma data que os EUA. Pronto. Assim como muitos filmes, principalmente os populares lançamentos do verão americano, saem em lançamento mundial. E aí? Qual será a graça de esperar o episódio ir ao ar nos EUA para colocá-lo na rede durante a semana?

    Abs!

  2. com certeza se diminuisse os espaços entre os lançamentos e transmissões de filmes e séries de tv entre os dois países seria um começo, mas achar que resolveria é inocência. as pessoas baixam filmes que estão no cinema também! que estão passando na tv aberta ou fechada! não baixam por não terem acesso legalmente e sim por comodidade de assistir quando quiser sem ter que pagar por um box de dvds (extremamente mal-feitos por aqui no brasil) ou por uma ida ao cinema. as pessoas querem é comodidade, o dificil vai ser achar uma solução eficaz para agradar tanto as empresas lesadas quanto os consumidores.

  3. Andy disse:

    Concordo, se diminuisse o espaço entre as exibições no resto do mundo em relação aos EUA teriam menos downloads, claro que não da pra extinguir com tudo mas é bom tentar diminuir o maximo possivel.
    É uma pena, sou muito fanboy de HEROES, que com certeza é uma das séries mais prejudicadas com isso atualmente. HEROES e LOST que mesmo tendo uma grande audiência, vem caindo cada vez mais, chegando a ter a cada episódio a tal “menor audiência d asérie” desde que estreiou a nova temporada, o que é uma pena, pois são otimas.

  4. gisele disse:

    OFF TOPIC: de onde saiu tanto peito na Hayden Panettiere?

  5. Barretão disse:

    @ Gisele

    NOSSA! Não tinha reparado! (O~O)

  6. Leonardo disse:

    Enquanto as séries chegarem meses depois aqui no Brasil, isso vai continuar, alem disso, chegam apenas pra Tv fechada… Aqui na minha cidade é um C* pra ter Tv Paga, então, só baixando mesmo, alem disso, as prestadoras de Canais pagos tão enfiando a faca, vale mais ter uma banda larga e baixar as séries…

  7. Renan disse:

    Enquanto a TV Paga brasileira não parar de lançar as séries com atrasos vergonhosos e legendas mal feitas fica difícil eles quererem questionar algo. Deve estar incomodando saber que amadores fazem melhor que os profissionais! Se não fosse os downloads eu jamais assistiria as séries que eu assisto, e depois compro em DVD! Ninguém merece esperar pela transmissão no Brasil!

  8. Mr. Bale disse:

    O problema das demoras e intervalos de lançamento é o leilão pelo direito de exibição da série, filme e etc… Ou seja, a capital sempre leva a melhor, mas o interior, se fode…

  9. Monza disse:

    a confecção das legendas não depende dos sites esses dias sem os sites de legendas mostrou isso!
    Sem os sites só dificulta a procura mas é algo q não atrapalha muito.
    Eu fui cliente de tv a cabo alguns anos e é irritante vc ta assistindo algum programa e as legendas estarem em outra lingua ou simplesmente pararem de funcionar… se vc liga pra operadora eles jogam o problema pra outro lugar e não resolvem e isso acontece com alguma freqüência… e nem vou comentar o atraso na exibição dos episódios.
    Outra coisa eu comprava freqüentemente box de series e filmes até q um dia resolvi reassistir a primeira temporada de lost q só tinha sido assistida 1 vez… tinha comprado a menos de 1 ano e estava muito bem cuidada… pra minha supresa 2 discos apresentaram problemas e 1 desses 2 simplismente trava o dvd de uma forma q tenho q desligar na tomada.
    Os discos não tem 1 arranhão.
    entrei em contato pra trocar e a loja na internet disse q não iria trocar pq passou os 3 meses… sendo assim pedi o contato da empresa q vende os boxes a eles e isso tem mais de 6 meses e não me deram esse contato… então eu vou continuar baixando minhas series e fazendo dvds delas e amigos meus q quiserem assistir e não tem internet pra isso eu faço as copias sem peso nenhum na consciência pq os direitos q essas empresas conhecem são os seus próprios direitos agora os nossos como consumidor eles ignoram.

  10. UPC disse:

    Quando os legendadores “profissionais” levarem seu trabalho a sério e fizerem uma legenda digna, aí eles terão respeito e poderão ter fãs que assistam aos seriados na tv paga. Enquanto isso, nenhum deles tem moral para reclamar de fansub. Garotos e garotas de 15/16 anos fazem um trabalho melhor que marmanjos aí de 30 e 40 anos que se dizem profissionais na área e eles querem reclamar? Go to hell.

  11. Vinicius disse:

    É só acabar com a globalização.

  12. V disse:

    Se uma grande massa começa a fazer alguma coisa ilegal, e apenas a lei não conseguir evitar isso em quase nenhum caso, então tem alguma coisa muito errada aí. Se o legendas. tv é ilegal, o que ele está fazendo on-line nesse momento? Creio que tem algo maior por trás disso tudo. A grande qualidade da internet é a liberdade. Se acabar com a liberdade na internet, não há mais internet. E, creio eu, que tem muito poder que não quer que isso aconteça, poder muito maior que essas associações e suas patrocinadoras.
    Lembrando que nesse momento, na suécia, está em andamento o julgamento decisivo do The Pirate Bay, e adivinha quem está ganhando?

  13. Certamente que a comodidade de assistir em casa é um ponto a ser considerado. Mas acho que o principal ponto é a demora.

    No caso de cinema, veja SLUMDOG MILLIONAIRE, favorito ao Oscar que chegará ao Brasil somente depois da premiação. Sensacional, não? Muita gente aqui já viu fazendo downloads. Na época do Oscar, as pessoas vão ao cinema. Um caso mais simples é o de SEXTA-FEIRA 13, fenômeno da cultura pop. Estreou aqui e nos EUA no dia 13/2. Aposto que a maioria foi ao cinema só pra saber como é a experiência de ver Jason no cinema. Simples assim.

    A comodidade de ver em casa realmente existe, mas ir ao cinema, sair pra tomar um café ou comer num bom restaurante ou ir a um belo dum motel ainda é melhor do que fazer qualquer coisa em casa.

    Só que, para isso, filmes e séries precisam acostumar o planeta com lançamentos mundiais. Nada de esperar duas, três semanas, ou dois, três meses… aí não há campanha contra a pirataria que inicie um pouco de juízo na cabeça do povo. Acho que o caminho é esse.

    Abs!

  14. bperuchi disse:

    Da uma saudade do LegendaZ… -/

  15. Olavo disse:

    Não concordo com você, acho que não é necessário uma vitória jurídica para continuar com os downloads e legendas,é necessário apenas uma vitória técnica, coisa que vem sendo feita de forma muito bem sucedida pelos usuários, e o fracasso da Apcm em relação ao legendas.tv é exemplar. O site da Apcm está fora do ar até hoje, e o legendas.tv voltou ao ar na sua versão integral.O que precisa mudar é a concepção do uso de tecnologia e compartilhamento de informações.Tentar impedir o impossível e criminalizar a divulgação de qualquer tipo de dados está fadado ao fracasso total…Um dia o mercado e as empresas vão atingir a eficiência que os usuários já atingiram a anos…deveriam se esforçar para isso, obteriam resultados bem melhores em relação aos seus interesses comerciais.

  16. Bruno disse:

    Pirataria é o ato de roubar navios. 😛

    Ta na hora de pararem de se preocupar com legendas e olharem para o senado, congresso e cia..

  17. ¬¬ disse:

    Acho que a confecção de legendas por fãs é fruto da mentalidade atrasada dos estúdios, distribuidoras, etc…
    É um absurdo que um filme demore 2 meses ou mais para estrear aqui no Brasil em relação aos EUA, assim como é absurda a demora para o lançamento de episódios de séries na TV.
    Se esse atraso fosse menor, a pirataria não acabaria, mas diminuiria. E creio que seja fácil diminuir esse atraso, pois o Late Show with David Letterman demora “apenas” uma semana para ser exibido em terras brasileiras.

  18. Fabio Farro de Castro disse:

    O problema não é só a demora dos filmes e das séries americanas de vim para cá, tem ainda as séries (e até filmes)que nunca chegam aqui ou que cheam sem divulgação nenhuma. Tentem procurar o filme Clerks em qualquer locadora, provavelmente não irão achar!

  19. Paulo Malta disse:

    O atraso entre as estreias nos EUA e aqui é histórico. Sempre ocorreu. Essa conversa de que a pirataria prejudica é balela.
    Outro fator é o preço. Como eu li num site de downloads por aí: “Pirataria é crime. Original é roubo”
    Como foi dito acima, a vitória técnica (ou moral) já ocorreu. Se tirarem o site do ar, o que é difícil, surge outro pra suprir e assim vai. O modelo de distribuição oficial é que está superado.

  20. Tiago Cabral disse:

    @ Otavio Almeida
    To assinando embaixo com louvor, falou tudo.

  21. FiliPêra disse:

    O Legendas.tv pode até ser ilegal (há controvérsias), mas a forma como os idiotas anti-pirateiros tratam isso só traz antipatia sobre eles. Não creio que a atual estratégia de tirar os sites do ar vai levar a algum resultado além da criação de mais sites.

    E, na boa, por que não levam tudo a justiça, já que a APCM não tem qualquer autoridade para tirar algum site do ar. Devem estar com medo… vide o caso do The Pirate Bay, declaradamente pirateiro, mas dando uns belos tapas na promotoria.

  22. y0r1_ disse:

    É só acabar com a Globalização. [2]

    =P

  23. […] ótimo post sobre o imbróglio entre a APCM e os sites de legendas no Brasil. Relembre o Braincast sobre […]

  24. Nando - Capitão Careca disse:

    @Otavio Almeida
    um filme podde ter estreia mundial, porque ele ja esta prnto a “muito tempo”… e em tempo das distribuidoras deixarem udo certinho em termos de legenda ou dublagem.
    no caso de series, as vezes nao há tempo hábil de criarem o episodio, mandarem, e ainda quando tiver a legenda feita, passar pelo “cotrole de qualidade” de que esta tudo OK na legenda (coisa que mesmo na TV, muitas vezes nao está).

  25. Nando - Capitão Careca disse:

    @guilherme toscano

    pois é!… este é o famoso “jeitinho brasileiro”… infelizmente

  26. Nando - Capitão Careca disse:

    @Leonardo

    mas o fato da banda larga… pode até ajudar no quesito de diminuir pirataria.. ..

    nos EUA, sites como fox, warner, universal, cartoon, etc etc etc…

    vc pode ver o episodio ONLINE…

    ou seja… LEGALMENTE… E na comodidade que tanto quer ter e baixar filmes…

  27. Nando - Capitão Careca disse:

    @Monza

    cara.. cocordo com tudo…

    mas infelizmente…
    falar que vai fazer o download.. e esta com a consciencia tranquila…

    é o mesmo que um dia vc estiver andando na rua… e um ladrao roubar sua carteira, sua roupa, seu carro, sua casa…
    e ainda te falar:
    – to com a consciencia tranquila, porque vc tem condiçoes de ter isso tudo e eu nao!… PERDEU, PLAYBOY… PERDEU..

    hehehehe
    ;^)

    infelizmente… pirataria digital é algo que 99% da populacao ainda nao enxerga como crime

    (so pra constar…
    é totalmente uma hipocrisia eu dizer isso.. afinal… .. .. … )

  28. Nando - Capitão Careca disse:

    @Otavio Almeida

    perfeitamente!!

    @Bruno

    ae que ta cara….
    quem reclama e pede pra fechar tudo… sao os proprios ladro… ops.. politicos… hehe.. porque é com a grana de impostos que eles enchem o bolso!!!
    hehehe

  29. Nando - Capitão Careca disse:

    @Fabio Farro de Castro

    provavelmente nao…
    FATO!… o filme sequer existe… so locadoras MUITO antigas TALVEZ tenham VHS..

    nao existe o DVD do 1o. filme…

    assim como nao existe
    rocketeer
    familia addams 1 (pior que tem o dvd do 2, arght)
    meu primeiro amor
    7 faces do dr. lao
    os maiorais

    etc etc etc

  30. Camino disse:

    Apesar de muito bem escrito, este artigo ignora os principais problemas da questão, como por exemplo o preço. Se um dvd não custasse 50 reais no lançamento muito mais gente compraria. No Brasil somos doutrinados a pagar mais caro em tudo, é o imposto de terceiro mundo.

    Como disse muito bem escrito, mas com uma visão restrita do problema.

  31. Replicane disse:

    Enquanto as leis serem feitas por antas velhas, vai ficar dificil sair algo decente. Quem tem o poder de mudar, muitas vezes não entende nada do que está mudando, quem está julgando também, vide os processos contra o Google. A verdade é que a tecnologia disparou e a galera da lei ficou para trás…

  32. e tem outro ponto também: se nós, consumidores, estamos dependendo de fãs para fazer as legendas é porque as empresas legalmente responsáveis por fazê-las não estão fazendo com a qualidade/agilidade que nós exigimos.

  33. Xico disse:

    “Entretanto, não é no constante desafio às leis e as táticas de guerrilha que está a resposta a essa situação.”

    Até que a resposta “oficial” chegue, eu faço o que? Espero as séries saírem no BR?

  34. rafael disse:

    A Universal não tem respeito por seus clientes eu mesmo só compro DVD original e quando ganhei um de natal da serie PSYCH o DVD veio todo errado e eles falaram que não podem fazer nada.

    e por isso que tem muitas pessoas fazendo pirataria

    pc os dvds da serie house original contem erros tambem abraços a todos

  35. eu só dou risada dessas coisas
    internet é isso! nao vão conseguir banir!
    será que ninguém percebe?

  36. Amauraus disse:

    Eu tive preguiça de ler o post inteiro…

    O caso é simples, existem 3 tipos de pessoas:
    – as que criam e sabem o quanto suaram pra criar algo de qualidade;
    – as que valorizam esta criação e estão dispostos a pagar o valor pedido pelo criador (ou representante);
    – as que copiam na CARA DE PAU e sem peso na consciência não levando em consideração o esforço e trabalho de quem criou.

    Garanto que TODOS os que copiam nunca escreveram um livro, gravaram um CD, fizeram um filme ou coisa do tipo… Deve ser frustrante ralar para criar algo e ver que muitos não te devolvem 1 centavo por isso…

  37. Barretão disse:

    @Camino
    Em momento algum esse texto se propôs a analisar a questão toda. É uma reportagem sobre os ultimos acontecimentos. Relatei de dei um pouco de opinião. Não é minha função resolver ou desvendar os mistérios. Como jornalista, minha parte está feita. Obrigado pelo comentário. Agradeço, muito, a atenção. =D

  38. Matches disse:

    Só sei q sem esses sites quem perde MAIS são as produtoras. Estamos num caminho q certas coisas não temvolta e o download e o streaming estão ai, é uma hipocresia criar leis pra proteger empresas q SÓ sobrevivem disso e deixar o consumidor atrasado em 20 anos. O mesmo vale pra indústria musical. É um caminho sem voltam, encontrem a melhor solução para ela.

  39. R.R. disse:

    Falando um pouco sobre CINEMA

    É virtualmente impossível todos os filmes terem estréias mundiais. Isso é fácil de acontecer com um Batman, por exemplo, que é distribuído pela Warner aqui, na Tailândia e nos Estados Unidos. Além disso, é um filme hypado (leia-se: tem a data de estréia agendada há pelos menos dois anos e os filmes menores que se acomodem ao redor disso).

    Já um Slumdog Millionarie, um Menina de Ouro, são filmes distribuídos por empresas indepedentes no Brasil – empresas legais que compraram seus direitos de exibição e comercialização no país.

    Estas empresas precisam fazer o filme dar lucro no cinema (pois ela pagou do bolso dela para isso, o que não acontece com a divisão brasileira da Warner, que responde a sua matriz). E, francamente, colocar um Slumdog Millionaire na mesma data de um Homem-Aranha da vida é suicídio. E não porque ele não teria público; claro que teria, todo filme tem. Mas é porque não tem cinema (eu, como dono de cinema, prefiro Homem-Aranha, que é filme de massa).

    Daí, por exemplo,a razão da Europa (com razão) o Oscar. “Vencedor do Oscar de Melhor Filme” no poster chama muito mais público que “Indicado a 10 Oscar”. É o jeito mais correto de se trabalhar o filme dentro do mercado cinematográfico brasileiro.

    Lançamentos simultâneos no mundo todo seriam maravilhosos? Sim, mas é impossível, o mercado brasileiro não comporta isso, a não ser para um filme-evento.

    Uma curiosidade, a grande perda do cinema (e não estou falando dos estúdios, mas dos exibidores, das salas) não é com pirataria. Perde-se dinheiro com isso, mas a perda não chega aos pés do prejuízo que se tem com a meia-entrada, devido ao fato de 70% da população ter carteira de estudante comprada na Pizza Hut.

    E os estúdios tiram grande parte do seu lucro do DVD – esse sim prejudicado pela pirataria. Afinal, quem assiste pirata e depois compra DVD é exceção. Não importa o que digam aqui.

    Falando um pouco sobre pirataria digital, agora. O modelo de distribuição precisa mudar? Sim, é óbvio. O mercado musical já deu provas disso. Mudou ou morria – porque quase morreu.

    Independente disso, levantar a bandeira de “distribuir legendas é legal” é errado, porque não é legal. Como foi dito na matéria, se você está legendando para seu uso, porque colocar na internet? Aliás, se você sabe inglês, porque legendar? Não é mais fácil simplesmente assistir (deixando de lado, por enquanto, que o conteúdo que você baixou É ilegal)? Você coloca as legendas no ar porque quer mais pessoas assistam? O produtor também quer isso, mas da forma correta (leia-se: de uma forma que dê retorno e pague os salários dos envolvidos na produção).

    Sinceramente, distribuir legendas na internet e dizer que isso não é crime é o mesmo que vender cachimbos para fumar crack e ficar falando que o que você faz é legal e você não pode ser preso por isso.

    Quer distribuir legendas na internet? Distribua. É o seu site. É o seu tempo. Mas ao mesmo tenha a decência de não querer ficar jogando uma cortina de legalidade no que você faz, usando expressões clichês como “liberdade de expressão” e “democratização da informação”, porque fica beirando o ridículo.

  40. Nando - Capitão Careca disse:

    @Camino
    se for analisar cada detalhe… nao existe internet que aguente… hehehe

    o preço do dvd é UM dos pontos… e… concordo em genero numero e degrau (hehe) que isso é embaçado..
    porque um dvd de 50 conto.. e 3 ano, custa 9…

    mas preço de dvd tem muito mais por traz, do que só ganancia de distribuidoras…

    e imagino que outro post sobre isso ainda vai rolar porraqui… hehehehe

  41. Nando - Capitão Careca disse:

    @Replicane

    as antas velhas… ja morreram… o que fode… é que as antas novas nao mudam nada… e se mudar, vai ser para beneficio proprio, claro,.. afinal.. politica é isso!

    nao existe politico correto… que esteja vivo… ou ainda no ramo da politica… hehehe

    porque.. ou se segue o caminho da massa… ou nunca um projeto é aprovado, numca terá apoio de ninguem, etc etc etc…

    e nao pensem que é so brasil nao…
    ;^P

  42. Nando - Capitão Careca disse:

    @www.viniciusparaiba.com.br

    se até a Cicareli barrou o youtube por um tempinho…

    barrar cada vez mais coisas… é 2 palito pra quem tem grana pra isso!

  43. disse:

    Concordo com o Matches.
    É impossível deter a tecnologia (e, junto com ela, a pirataria)!
    Enquanto as empresas que detem os direitos autorais não começarem a ver a internet como uma aliada e não uma inimiga, vai ser sempre esse impasse.
    Eles podem até bloquear um site ou outro, impedir esse ou aquele programa, mas surgirão outros 20 sites iguais e mais 40 programas que fazem a mesma coisa.
    Isso me lembra quando começaram a tirar do ar os arquivos da comunidade ‘Discografias’. Tentaram, tentaram e a comunidade continua lá, firme e forte.

  44. Nando - Capitão Careca disse:

    @Amauraus

    eu tb odeio ler quando o post é grande.. mas.. garanto que vale a pena…

    e concordo PLENAMENTE com vc….

    e nao so na criaçao, e no retorno..

    mas como disse antes…

    imagina se alguem te para na rua… e te rouba… … é a mesma coisa!… porque, pra quem roubou… ta poco se fodendo com vc… e ainda diz que o problema é seu

  45. Nando - Capitão Careca disse:

    @R.R.

    cara… vc falou um ponto importante… meia entrada!..
    isso é um grande fator para preços abusivos.. nao so no cinema, como também em shows… … porque.. o preço da meia, é o preço real… ja que 90% tem carteirinha falsa por ae, hehe… dae, quem paga inteira, se fode ainda mais….

  46. Mushroom disse:

    teve um cara ai q falou q nao tem tempo habil de um episodio chegar no brasil e a legenda sair em tempo pra passar na tv… mas os fansubs fazem a legenda em menos de 1 semana… tem casos de “demorarem” 2… 3 dias só…. se alguem q nao ganha nada pra fazer, faz em 3 dias… porq alguem q ganha pra fazer nao faria em menos tempo?… estranho….

  47. Nando, tem razão sobre o processo de dublagem, legendas… Enfim, mas acho que o produto já deveria vir pronto lá de fora, pensando no mercado externo, incluindo legendas, mesmo que isso seja feito com a participação das distribuidoras em cada um dos países. Utópico? Sim, mas é uma saída.

    RR, concordo que lançamentos mundiais para filmes… hmm… menores são inviáveis. Mas não vale citar SLUMDOG MILLIONAIRE ou MENINA DE OURO, filmes que antes do Oscar, já eram considerados como “nomináveis”. Aí o público quer ver mesmo. Acho que isso se aplica a um filme sueco como BEM-VINDOS, por exemplo. O público que faz downloads não quer ver BEM-VINDOS. Mas até algo comercial sem o apelo de um BATMAN ou WATCHMEN como BEVERLY HILLS CHIHUAHUA, que não deixa de ser comercial, não é campeão de downloads… Aposto.

    Abs!

  48. Leandro Brazil Machado disse:

    “Pirataria é crime. Original é roubo”

    quando preço do original baixar, a pirataria vai diminuir tbm!

  49. o jeito é se adaptar, como a indústria musical fez. disponibilizar para downloads legais, fazer legendas legais, SEM UM INTERVALO DE TEMPO GRANDE ENTRE A EXIBIÇÃO ORIGINAL E A DISPONIBILIZAÇÂO. e talvez começarem a colocar publicidades DENTRO das séries e filmes. o público que baixa pela internet é muito grande e saber usar isso ao favor do anunciante é o que eles precisam aprender. colocar propagandas laterais ou embaixo durantes os filmes disponibilizados pela internet, é um público com um potencial de consumo muito grande, temos que saber utilizar isso ao nosso favor.

  50. Fulvio Ramos disse:

    “Os sites estão errados, legalmente falando. Ponto.”

    Não, não estão. Isso é TEU entendimento da lei. No MEU entendimento, traduzir não é pirataria, sendo que não se ganha dinheiro com isso.

    Isso vai direto aos K7’s e VHS’s… a indústria esperneou mas ganhou MUITO dinheiro com isso e evoluiu para CD’s, aí reclamou dos CD’s graváveis, que ELA mesmo produz (Sony, Warner, FOX, todas são ligadas a grupos que desenvolvem o hardware que elas combatem).

    Enfim, a questão aí é a indústria não sabendo evoluir.

    Mas legalmente eu não acho que seja contra a lei. Legenda é apenas a transcrição de algo falado e uma imagem, sem o filme a legenda é inútil.

    Até o download de episódios no meu entender não é contra a lei, pois uma vez passado na TV pra mim se torna público o negócio.

    É a minha visão. Ponto.

  51. Fulvio Ramos disse:

    Comentário do capitão careca:

    “no caso de series, as vezes nao há tempo hábil de criarem o episodio, mandarem, e ainda quando tiver a legenda feita, passar pelo “cotrole de qualidade” de que esta tudo OK na legenda”

    Não há tempo? Tem certeza? Se os caras AMADORES que fazem as nossas legendas conseguem fazer em dias, as vezes HORAS, e, em MUITAS vezes, com qualidade SUPERIOR ao de DVD’s lançados MESES depois, como uma empresa MULTIBILIONÁRIA, com os melhores profissionais não tem tempo?

    Reveja conceitos.

  52. Barretão disse:

    @ Fulvio
    Dentro da atual condição legal, está errado. Não é meu entendimento, é a legislação. Ultrapassada? Sim! Não preparada para a internet? Sim. Mas legalmente é o que vale, no momento. Alguém lá em cima disse que não concorda com o fato de uma vitória judicial ser necessária para mudar. E fazer birra e continuar “mostrando força por não sair do ar” vai resolver? Isso pode mostrar que a prática não pode ser interrompida, mas não muda o cenário e não favorece a quem se dedica a isso, que, até onde entendo, é o grande objetivo de tudo isso.
    Ficar xingando e mandando a indústria às favas como muita gente aí em cima fez, não adianta nada. Tudo mimimi. A lei vigente determina isso como errado, seja download ou seja legenda (que mexe com propriedade intelectual protegida por lei e esse fato em si já é classificado como impróprio).
    Lembro que uma vez, quando o fax ainda era o meio mais comum de apurrinhação empresarial, a Sci-Fi News fez campanha por conta das presepadas da Warner na exibição de Babylon 5. Em vez de ficar xingando ao vento, o pessoal entupiu o fax dos caras e forçou uma mudança de atitude. É algo desse tipo que precisa acontecer, não essa postura “eles que se explodam”, que não serve para nada.
    Acho que essa reportagem serve para entender o verdadeiro ponto em que essa situação está. Pressão legal de um lado e mimimi do outro (nao to falando de nenhum site em específico), como os comentários aqui provam. Na hora que o mercado for pressionado de volta, da maneira certa, uma solução pode surgir. Ficar reclamando, não adianta. Tô parecendo disco quebrado, credo.
    O legendas.tv fez certo ao contactar a APCM. Não deu resultado? Tente outro lugar, tente os canais, abra discussões produtivas. O que não dá é para forçar a barra enquanto a lei disser o contrário, até isso mudar, legalmente, está errado. Ponto.

    abs

  53. Bob Saccamano disse:

    Lamentável este artigo.
    Não entendi esta postura pró-APCM deste blog.
    Blog que pertence a um site que coloca “RESUMÕES” de Lost.
    Algo que na minha opinião é muito pior que legendas.
    A transcrição detalhada de um episódio neste caso é uma violação de direitos autorais. não ?

  54. @Bob Saccamano

    isso só mostra a independência que cada um tem dentro do site, não?

  55. netto careca disse:

    @Fulvio Ramos

    desculpa cara… eu comentei tantas vezes, que vc deve ter perido alguns pontos meus… hehehe

    o que eu falei é valido sim… sabe pq?… realmente demora esse processo.. porque é burocratico e passa na na mao de porrada de pessoas…

    no caso do “fansub”… é so fazer e jogar pra galera…

  56. R.R. disse:

    @fulvio ramos

    “[Os sites estão errados, legalmente falando. Ponto.]Não, não estão. Isso é TEU entendimento da lei. No MEU entendimento, traduzir não é pirataria, sendo que não se ganha dinheiro com isso.”

    Legalmente, os sites estão errados. eles não possuem os direitos de exibição ou comercialização da obra no país (e a produção de legendas (ou seja, a localização do produto, tornando-o consumível pelo público locaL) se insere nisso. A questão não é ganhar dinheiro (o que anula a questão do “cobrar pela legenda ou não”, é impedir que pessoas que estão no meio legal (e pagaram impostos, custos e os royalties da obra) ganhem.

    “Mas legalmente eu não acho que seja contra a lei. Legenda é apenas a transcrição de algo falado e uma imagem, sem o filme a legenda é inútil.”

    E, para muitas pessoas, o filme sem a legenda é inútil. A partir do momento que você disponibiliza a legenda, você incentiva o download ilegal. É o que eu disse no meu comentário, sobre o cachimbo de crack.

    @Bobsaccamano
    Um resumo não afasta o fã do produto original. Uma legenda, sim, pois incentiva o download ilegal.

  57. Somnambulist [999th Night... ] disse:

    A grande questão é que vivemos não só numa economia global, mas também numa legislação global.

    A questão de faze download ilegal é uma questão de ética: simplesmente é contra a lei vigente no país. “Dura lex, sed lex” (“A lei é dura, mas é a lei”). Não há argumentos contra a lei. A legislação brasileira de copyright é uma das mais engessadas do mundo. Rígida até dizer chega. O caso é que a tecnologia disponível, e a capacidade de se valer de legislação mundial (como é o caso do thepiratebay) agridem o sistema impedindo as sanções previstas. Mas estar impune não quer dizer ser inocente.

    Argumentar a respeito de liberdade de expressão e democratização da informação para sustentar ilegalidade é de uma ética subversiva.

    Os verdadeiros movimentos de democratização da informação, geraram coisa como o Creative Commons, Software Livre, e etc. O sistema de torrent surgiu para disponibilizar distribuições linux sem derrubar os servidores.

    Se a população acha errada a legislação existem recursos legais para fazer imperar essa representatividade e conseguir modificar a legislação. Países como a Suécia tem legislações diferentes o que permite que o thepiratebay sobreviva.

    Em resumo quem está falando de “democratização da informação” está falando besteira. Cale a boca e cumpra as leis. Não está satisfeito com elas então use os mecanismos de cidadão para modificar as leis. O fato grave é que as ofensivas contra a pirataria digital são tecnicamente infrutíferas e ponto final.

  58. Daniel F. disse:

    Falar que a pirataria vai acabar se a janela de tempo diminuir é burrice!
    EU baixo filmes e séries pelo simples fato de querer ter.Esteja no cinema ou não.
    Nada se compara a assistir na telona, mas dificilmente eu não baixo um filme que acabei de assistir.
    Tenho em minha coleção, em pouco mais de 6 anos, cerca de 1250 filmes.Baixados em AVI e gravados em DVD.
    Quando eu quiser assisto.E não vou pagar pelo original.
    Os filmes que realmente são de meu interesse eu compro.Tenho meus cento e poucos DVDs orginais, mas isso é muito pouco perto da minha coleção em AVI.

    Falta estratégias das produtoras e distribuidoras.Resta saber eles que o download nunca vai acabar.

    Ponham as malditas propagandas embutidas no seriado!Se eu baixar, vai ter lá, como num jogo de futebol, um anuncio das Casas Bahia.

  59. Bob Saccamano disse:

    @R.R.

    Não importa se afasta o fã ou não.
    O “crime” que é alegado pela APCM é a violação dos direitos autorais.

    Tanto a legenda quanto o resumo são feitos sem autorização do detentor dos direitos da série.

  60. Kensin disse:

    Por favor, antes de escrever o artigo podia ter deixado bem expresso “eu sou contra os downloads” e não ficar falando entrelinhas durante todo o post…

    Sobre o assunto, por enquanto não existe uma forma de acabar com o download de series e filmes, isso é FATO. Porque as pessoas vão esperar 3 meses para ver uma série na TV a cabo, ou 6 meses para alugar um DVD na locadora, se podem baixar um dia depois com ótima qualidade de imagem e legenda?

    Fecha-se um site, abrem-se outros, fecha-se esses tem orkut, e outras dezenas de lugares onde as legendas podem ser distribuídas…

    ps – comentem de tudo, mas não rotulem os downloads como “pirataria”, porque pirataria é o que os camêlos e CIA fazem….

  61. Marco Tulio disse:

    Eu acho praticamente impossível contralar a pirataria na internet.

  62. Fabio M. Braga disse:

    Essa discussão (PIRATARIA DIGITAL: TEM SOLUÇÃO?) ainda está longe de um final, mas penso que a internet pode sim ser usada como um eficaz meio de promoção, assim como observado com a série HEROES que aproveitou a web para fazer a divulgação em massa e oferecer downloads ao público.
    Vale ressaltar que o mesmo foi observado com a MALU “CAMELINHA”, que ganhou notoriedade graças ao YOUTUBE e ao MYSPACE; e, ainda, com THE DARK KNIGHT, que conseguiu ser recorde tanto de pirataria como de bilheteria (quase um bilhão de espectadores).
    Realmente acredito ser inevitável a dissociação do marketing tradicional (revistas, jornais, televisão, outdoors, etc) do mundo virtual que, entretanto, merece uma legislação mais moderna.
    De qualquer forma, parabenizo o meu XARÁ pelo excelente jornalismo (com “J” maiúsculo), assegurando os direitos constitucionais do contraditório e da ampla defesa através do debate civilizado entre as partes.
    Saudações,

  63. R.R. disse:

    @Bobsaccamano

    Eu apenas articulei pensando na consequencia do ato, para ficar claro porque legendas é crime e resumos não são.

    Resumos não ferem os direitos autorais. Por mais detalhado que ele seja, você está apenas descrevendo outra obra. Legendar, por outro lado, implicar em manipular, adaptar ou alterar uma obra sobre a qual você não possui direitos.

    Concordo com o Somnambulism. A lei é dura mas é a lei, e contra ela não há argumentos. Lutar para alterar a legislação (no caso de quem distribui legendas), seria algo infinitamente mais produtivo do que ficar alegando que legendas não se aplicam a isso. Porque, independente do quanto se grite, elas se aplicam. A prova disso é a APCM caçando os sites que fornecem esse material – ou os donos dos sites são todos advogados especializados em direitos autorais e conhecem mais a legislação que os advogados da APCM?).

    Ficar gritando é inútil. Concordo que é necessário rever o modelo de distribuição, especialmente em DVD e TV, mas rebater os ataques da APCM dizendo que os ataques são arbitrários não resolve nada. Nesse caso, água mole não fura a pedra dura.

    Como eu disse, seria mais produtivo lutar por uma mudança na legislação do que contra-atacar hackeando o site da entidade, atitude que tira qualquer razão que os sites de legendas tivessem (e que não têm, de acordo com a lei).

  64. Cláudio disse:

    A minha dúvida é: É proibido, por lei, baixar filmes ou conteúdo pela internet no Brasil?…
    O que sites como o the Pirate Bay fazem não é nada mais do que o google faz…Esses sites são search engines de conteúdo, não armazenam nada nos seus servidores, apenas o conteúdo da busca em si, não o arquivo…Se o rax-pro na Suécia deixa você pegar um pedaço do filme, o thewarrior777 nos Estados Unidos também deixa, o kingkong no Camboja também deixa…Cadê a pirataria? A Apple com todo o seu protecionismo colocou um site para revender o download de músicas por $0,99 por faixa…e tem milhões de downloads contabilizados (e milhares de $$$) por conta disso. No mesmo site pode-se baixar filmes e séries por um valor pouco acima disso, também…Se os estúdios disponibilizassem os mesmos recursos, com pouco investimento, teriam mais retorno do que o cenário atual. A pirataria não acabaria, pois sempre tem aquele que não tem condições de ter banda larga e recorre ao camelô para conseguir o filme ou tem preguiça ou não sabe baixar por ele mesmo…mas diminuiria bastante!

  65. Barretão disse:

    @Claudio
    Apple Store é a melhor solução encontrada até agora. Deveria ser o modelo.

    abs

  66. Leandro Ramos disse:

    Ao invés de punir os sites/blogs de legenda e download por que essas entidades não vão atrás dos verdadeiros bandidos que comandam redes de pornografia infantil na Internet colocando em risco a vida e a infância de dezenas de milhares de crianças…

    Punindo gente de bem.

    Acho que esses sites(download e legendas) deveriam ser não-remunerados.

    Mas muita gente quer ganhar dinheiro fácil.
    E acabam se ferrando.

    Enquanto a essas entidades que só querem mostrar serviço…=[

  67. Bob Saccamano disse:

    Para fazer o resumão antes do episódio passar na Brasil, a equipe do site faz como ?

    Não seria o download “ilegal” uma violação dos direitos autorais ?

    Ou vc acha que eles realmente viajam para a Argentina toda semana ?

  68. Barretão disse:

    @Bob
    FYI: SOS Hollywood e Judão são grandes parceiros, mas não existe relação de propriedade envolvida. O SOS Hollywood assiste a todos os programas, filmes e lê todos os livros comentados em seu formato original.

    FYI2: Judão tem colaboradores que moram no exterior (sou apenas um deles) AND na Argentina (que não é exterior, seria mais um quintal de luxo). =D

    FYI3: Resumões são matérias com o intuito de divulgação, uma vez que o Judão é um veículo de comunicação. Seus textos tem função jornalística, logo, não ferem propriedade autoral.

  69. Bob Saccamano disse:

    “FYI2: Judão tem colaboradores que moram no exterior (sou apenas um deles) AND na Argentina (que não é exterior, seria mais um quintal de luxo). =D”

    Mesmo que César Diego Calixto morasse na Argentina, ele teria que esperar por um flash de luz que o mandasse para o futuro, pois Lost tb passa na AXN da Argentina e a estréia da quinta temporada é só no dia 9 de março de 2009.

    “Porque se fueron” – Estreno T5: Lunes 9 de marzo a las 21:00 hrs

    “O SOS Hollywood assiste a todos os programas, filmes e lê todos os livros comentados em seu formato original.”

    No seu caso, como vc mora nos EUA, é mais fácil ver as séries de forma legal, pois é só ligar a televisao na ABC e ver.

    Aqui no Brasil é outra realidade, pois temos que aguentar canais a cabo que demoram meses para passar as series, com legendas ruins e com comerciais extremamente chatos e repetitivos.
    Na TV aberta ? É só dublado e de madrugada. Com os episodios cortados ainda…

    Não estou justificando nada aqui. Se é crime, eu cometo crime e pronto. Se me pegarem eu aguento as consequencias.

    E quanto aos resumos, eu acredito que vc nunca tenha lido um, pois a maioria é a transcrição da historia do episodio, alguns sem nem ter alguma opinião (não os do Calixto, que são muito bons por sinal).

    Não se pode transcrever uma historia completa de uma obra sem autorização do autor com a desculpa de ser jornalistico.

    Imagina se eu faço um review de um filme tipo o Sexto Sentido e conto o final ?
    Vc acha que a empresa detentora dos direitos autorais iria gostar ?

  70. Luiz Nery disse:

    Eu sou uma pessoa que respeita DEMAIS arte, minha namorada é artista e sou completamente contra a pirataria quando alguém está ganhando dinheiro em cima do trabalho dos outros (venda de DVD’s por exemplo). Porém com o absurdo que temos que engolir, de ver o seriado na tv paga quase um ano depois da sua estréia nos EUA (um país com mais de 190 milhões de habitantes, contra menos de 40 milhões na Argentina que têm muitas coisas transmitidas simultaneamente com EUA), e na TV aberta quase 2 anos depois, sem opção de assistir legendado.

    Assisto filmes e ouço músicas baixadas pela internet como meio de conhecer o produto antes de comprar, da mesma forma que se ouve músicas em rádios e até em muitos sites legais de rádios que você monta.

    O que eu gosto, eu compro, da mesma forma que qualquer um compra um CD porque gostou da banda, ou da música, por ter a ouvido em algum lugar; e o pensamento é o mesmo em relação a filmes e séries.

    E eu não compro NADA pirata! E inclusive repreendo familiares e amigos quando ouço que comprou.

    O legendas.tv pode até acabar (como acabou o Lost Brasil), assim como alguns outros sites, mas as legendas não vão acabar, assim como há uns 10 anos atrás o Napster acabou, só para ver nascer dezenas de outros programas, sites e meios para se baixar música.

    @ Nando – Capitão Careca

    “no caso de series, as vezes nao há tempo hábil de criarem o episodio, mandarem, e ainda quando tiver a legenda feita, passar pelo “cotrole de qualidade” de que esta tudo OK na legenda (coisa que mesmo na TV, muitas vezes nao está).”

    Por isso que na Argentina passa no mesmo dia que nos EUA, e menos de 24 horas depois que sai o episódio, aparecem as legendas na internet muitas vezes com mais qualidade que as que demoram 6 meses para chegar no Brasil…

    @R.R.

    “devido ao fato de 70% da população ter carteira de estudante comprada na Pizza Hut.”

    Poucas cidades tem isso. A maioria das carteirinhas de estudante falsas são falsificadas de jeitos mais bestas do que isso. Com “documentos” feitos em casa até.

    “E os estúdios tiram grande parte do seu lucro do DVD – esse sim prejudicado pela pirataria. Afinal, quem assiste pirata e depois compra DVD é exceção. Não importa o que digam aqui.”

    Não acho que seja excessão não.. e a muito interessante campanha do Insubs “QUEREMOS CULTURA! QUEM USA LEGENDA TAMBÉM CONSOME!” .. http://www.flickr.com/photos/insubs/

    @ Barretão

    “Apple Store é a melhor solução encontrada até agora. Deveria ser o modelo.”

    O problema é que ela segue o modelo ridículo que tira o Brasil e outros países que muitas vezes podem consumir mais que os próprios EUA das prioridades, muitas vezes inclusive bloqueando até trailers de filmes pra quem é de fora dos EUA.

  71. Luiz Nery disse:

    PS: @Barretao

    A partir do momento que na capa do Judão tem Link para essa matéria E para o Resumão, acredito que a relação feita pelo Bob é justa demais

    PS2: http://www.blogdojotace.com.br/brasil-tem-o-blu-ray-mais-caro-do-mundo/

    Alguns comentaram sobre o alto custo e baixa qualidade das mídias no Brasil.

    Blu-ray do The Dark Knight custa virtualmente o mesmo preço no Brasil e na Argentina.. Lá é Blu-ray duplo, aqui é simples…

    É algo a se pensar…

  72. Barretão disse:

    @ Luiz
    As próprias emissoras distribuem press releases com sinopses de séries e episódios, no caso de grandes eventos. O caráter jornalístico nào tem absolutamente nada a ver com essa situação. Não fiquei rebatento 99% das coias ditas no debate, mas essa esbarra na minha área. O jornalismo correto pressupõe que cada matéria tenha apuração e se proponha a mais que um resumo, porém, o que é uma resenha ou crítica que não um “resumo” munido de opinião? Grandes sites dedicados a séries de TV possuem recaps, pois são ferramentas de divulgação, prática que tem aval das distribuidoras e não ferem nenhuma lei, como foi sugerido.
    Estão confundindo divulgação com manipulação da propriedade. Produzir uma legenda, rearranjar uma música e tantos outros exemplos tem a ver com manipulação de material protegido, seja lá qual for. Embora não seja o ideal, divulgação é a base do jornalismo de entretenimento. Quase tudo que se faz tem por objetivo a divulgaçào de algum conteúdo, nome ou evento e não tem nada a ver com isso. Não vamos confundir alhos com bugalhos.

    E sobre a Apple Store. Não falei que seja ELA em si a solução, mas é o formato. Funciona, é seguro e ninguém reclama. Daí a acreditar que ela seja aprovada para o Brasil, é outra história. Quero dizer que modelos e opções existem. Alguma delas tem que servir, não é possível que nada seja praticável no nosso país. Já pensou numa “Apple Store” só de programas de TV? Não seria bom? E que o pessoal das legendas cria-se uma empresa, ou cooperativa, vinculada a isso? Trabalho, a meu ver, tem que ser remunerado. E fazer essas legendas é trabalho. Aí teríamos todo o necessário. Solução sempre existe.

    Blu-ray no Brasil ainda é a maior palhaçada de todas. Paguei US$ 7 no Blu-ray do Operação Dragão aqui. Aí deve custar uns R$ 100. 😦

    abs

  73. Legendas.tv disse:

    Achamos decentes e sensatas algumas das opiniões expressadas aqui, pois possuem uma boa fundamentação (não importando de que lado estejam).

    Nestes dias, nós tentamos contatar empresas “sérias” e grandes aqui no Brasil sem sucesso (o que foi uma pena, pois pessoalmente temos projetos prestes a serem patenteados que ajudariam bastante no comércio online legal de séries). Por isto estamos vendo que, cada vez mais, não nos cabe o papel de agentes de mudança… e sim o papel de “revoltar” as pessoas (seja qual for a posição que defendem), de fazer vir a tona o debate…

    JUST FOR THE RECORDs: Conforme reprodução do e-mail que APCM enviou ao nosso datacenter, ela não listou nada, nenhum conteúdo ilegal. E PIOR: para retirar um outro site de LEGENDAS, ela no fim disse: “as obras MUSICAIS/MP3 que infringem direitos autorais são….”. Claro que eles devem estar bastante atarefados enviando e-mail para todo que é canto retirando “milhões” de links por aí… mas um uso mais consciente do CTRL+C/CTRL+V não seria nada ruim.

  74. Ha! Sensação de deja-vu! Parece que me encontro há uma década atras debatendo o fechamento do NAPSTER.

    O que aconteceu de lá pra cá? Milhares de sites de troca de arquivos foram fechados e outros milhares foram criados.

    Internet é uma rede. Redes servem para troca de dados.

    O que a APCM e RIAA não perceberam ainda que é impossível ir contra a evolução tecnológica, que traz consigo a revolução de costumes. E não haverá leis suficientemente atrasadas que poderão parar a evolução. Ponto.

    Essa batalha ainda só ocorre pq existem advogados muito bem pagos e convincentes, que conseguem fazer seus clientes acreditarem que podem parar o mundo. Azar deles.

  75. Cab disse:

    Pois é, a solução é simples: Liberem o hulu.com no Brasil ou façam um site compatível a ele com legendas de qualidade, como as feitas pelos fãs. =)

  76. Barretão disse:

    @Cab
    Hulu é tudo de bom!

  77. Erick Wilder disse:

    Bem, eu só gostaria de lembrar que a situação do The Pirate Bay, na Suécia, só é como é hoje pois eles decidiram se organizar e formar uma frente de mudança *REAL* dos formatos de distribuição de conteúdo. Trocando em miúdos, plantaram a semente do Partido Pirata (Piratpartiet), que conseguiu em tempo recordo recolher assinaturas para referendos e votações que consequentemente esbarrariam na vida do site.
    O partido em sí não tem expressão “nenhuma” na Suécia (nenhum cargo no poder – ainda), porém o número de pessoas que se associaram cresce exponencialmente e não duvido nada conseguirem nos próximos anos uma cadeirinha de algum cargo, por menor que seja a expressão.
    Acredito que este seja o caminho: se um milhão de pessoas se juntam para baixar legendas e episódios de Heroes e acham que seria legal fazer isto, juntem-se e encontrem soluções reais para o problema, sem falação.
    São “somente” assinaturas recolhidas, mas que fazem algum barulho , inclusive judicial, a isso faz mesmo.
    Infelizmente, entramos num ponto um tanto complicado, visto que a maioria de nós, seres humanos – por natureza – não estamos nem aí com o umbigo dos outros e nos enchemos sempre de kilos de hipocrisia. Se alguma das pessoas que comentou aqui disser que nunca baixou *NADA* na internet que tenha algum tipo de proteção de direitos autorais, está mentindo. Duvido que as pessoas que trabalham na APCM nunca tenham usado em casa um Emule, BitTorrent ou similar pra baixar “aquela” musica que tanto gosta. Será que todos os softwares que usam são originais? Será que aquele celular “modernoso” que foi destravado é legal?

  78. Darth Cesar disse:

    Qual o problema de ver Fringe em março na WC? vai mudar a vida de alguém?
    Tenho sonhos com a 4 temporada de BSG, mas não vou baixar, quero ver num DVD!!!! Mesmo que seja naquela porcaria de produto que a Universal lança, quero ter o produto nas mãos e guardar na estante, pra ver a foto da Tricia Helfer estampada ali.

    Por que esse frenesi em ter que ver a série/filme no mesmo momento que os americanos? pra contar vantagem pro coleguinha!!!!

    O Justiceiro nem no cinema vamos ter, Friday Night chegou aqui 1 ano depois, e daí?! vamos perder o sono por causa disso?

    Essa porra toda é somente diversão caspita!

  79. Josef K disse:

    Não creio que a violação de propriedade intelectual seja, conforme uma ética legitima, um crime.
    Creio que se fosse, teríamos de pagar aos gregos toda vez que fosse ensinado a fórmula pitagórica nas escolas.
    Alguns comparam propriedade intelectual como física, besteira. Não podemos comparar algo que pode ser COPIADO incessantemente com algo que só se pode ter se for TOMADO. A chamada “propriedade intelectual” de filmes, música e etc. não passa de uma piada. Tudo que é do domínio das artes deveria ser feito em prol da arte. Se um bando de moleques consegue ter tempo e recursos para legendar episódios, creio que pessoas mais maduras conseguiriam fazer séries, filmes e música sem querer nada em troca.

  80. Wagner disse:

    O barretão é o maior pirateiro que eu conheço e ponto final.

  81. Barretão disse:

    Isso aí! Tudo estratégia pra esconder meus crimes! =D

  82. Adelson disse:

    Este assunto está realmente dando pano pra manga. Na verdade, para a camisa inteira já!

    A APCM está correta em defender seus direitos. Afinal, essa é a razão de sua existência, e está defendendo os direitos de seus associados.

    Por outro lado, é impossível pensar que qualquer ação, seja ela qual for, vá acabar com a disponibilização e download de filmes e legendas. Mas, como já existem campanhas empenhadas em mostrar, quem baixa legendas, compra o box original, vai ao cinema, assina TV paga. Ou seja: gera lucro para as empresas. Muitas séries não seriam o que são hoje se não fosse o material que circula na internet.

    É errado? Sim, é errado, Quem faz isso, precisa ter essa consciência. Mas, acredito que, se todos esses downloads fossem suspensos de uma hora para outra, o lucro das empresas associadas da APCM cairia e muito.

  83. Alan disse:

    Quem compra no camelô o faz por conta do preço abusivo dos DVDs originais e por conta da carestia do preço do cinema.

    Mesmo que o preço do cinema fosse R$ 10,00 inteira, muita gente não poderia levar a esposa e dois filhos ao cinema, pois R$ 30,00 ainda é caro para a maioria do povão.

  84. Adriano LV disse:

    @Josef K
    Sobre seu comentário, eu posso dizer apenas… Uau…

    Você acha realmente que as pessoas poderiam, de graça, sem salários, produzirem coisas como a trilogia Senhor do Anéis? Ou séries como, sei lá, Família Soprano?

    Tipo… Nas horas vagas, enquanto não tivessem trabalhando no banco? Ou passando um tempo com a família? Ou indo ao banheiro? Ou qualquer coisa?

    Você realmente acha isso viável?

  85. Madrugador disse:

    TV paga que me dar urticária de assistir as séries. Haja saco para ver tanta propaganda. Se brincar as propagandas têm o mesmo tempo da série. TV paga só vejo Telecine HBO e os documentários discovery e cia. Até o cartoon anda uma merda.

  86. Ainda quero entender por que eu devo continuar pagando a fortuna que pago mensalmente pela TV a cabo se consigo um serviço muito melhor e de graça na Internet.

    Agora mesmo estava vendo um episódio do “The Big Bang Theory” no Warner Channel que estava com uma legenda errada sobreposta na correta. Se continuar assim, vou cancelar a TV a cabo e passarei a assistir filmes com qualidade superior de som e imagem que consigo gratuitamente pela Internet e com legendas muito superiores às “oficiais”.

  87. LoL disse:

    Meus dois centavos.

    Apesar de achar que artistas devem ser remunerados, creio eu que as leis de copyright no mundo precisam mudar afinal nao vejo garcom ganhando roylties por 75 anos por servicos prestados isso soh acontece com livros, musica e filmes e nao sao os artistas que ganham sao as produtoras, quando o intuito inicial de copyright foi o de criar um monopolio “temporario” pra exploracao comercial da obra pra que o artista recebe-se o que lhe eh de direito. Esse sim eh o grande ponto sobre legendas de fans que nao vejo como sendo ameaca pra nenhuma distribuidora muito pelo contrario pelo mundo afora outros paises permitem que fans usem suas obras como o povo que cria capitulos pro star trek e nao tem problemas com a produtora ou o povo que cria subs pra animes japoneses e essas empresas nao correm atras dessa gente. A lei diz uma coisa mas o bom senso diz outra.

    Crio legendas proprias ate posto uma ou outra faco pq o povo em casa nao sabe ingles demoro um dia pra fazer a translacao e traducao pra 40 min de video.

    A lei eh a lei isso eh verdade mas existe outra verdade mudancas acontecem quando a maioria nao concorda com a lei. E o processo eh repetitivo:

    – Criam uma lei.
    – O povo nao segue.
    – Tentam enforcar a lei se tiver sucesso a lei continua se nao muda-se a lei.

    No momento vejo que estamos no ponto da tentativa de enforcamento de leis arcaicas. (Mas nao se preocupem se o ACTA passar no mundo ai todas as produtoras e artistas vao ter o direito de te tomar o MP3 player no aeroporto e entrar na sua casa pra busca e apreensao). Eh medieval o negocio e isso eh o que irrita muita gente.

    O ponto realmente sao os direitos civis sendo estuprados e erodidos. O problema deles nao sao com as legendas sao as copias ilegais e a perda do controle sobre os canais de distribuicao o que fatalmente diminui o faturamento dessas empresas. O que nao deixa ninguem do lado deles feliz logo vao atras de tudo e de todos tentar tapar o sol com a peneira.

    Na lei de outros paises sei que existem excecoes pra copyright como uso educativo, fazer copias pra uso proprio, pra bibliotecas e instituicoes de ensino isso existe no Brasil? Se um professor no Brasil copiar um filme e passar ele pros alunos pra mostrar algum ponto sera ele um criminoso? Se fizer as legendas eh duplamente criminoso?

    Depois do ACTA com certeza ele vai ser.
    Anti-Counterfeiting Trade Agreement

    Resumo:
    O comportamento do povo eh o sinal de que as praticas dessas empresas estao fora de alinhamento com as necessidades da populacao “mundial” nao soh brasileira. Estao desesperadas pra manter modelos ultrapassados de negocios infelizmente a populacao nesse caso nao esta esperando por leis ou mudancas resolveram fazer por conta propria e apesar de ser errado usar o que eh dos outros sem permissao vejo eu isso como um primeiro passo pra uma mudanca “real” no como as coisas sao feitas. Talvez a populacao se canse de ficar assistindo e dando dinheiro pra essas empresas e comece a procurar por outros meios de diversao como producoes de video e tV na Rede tem otimos canais de informacao e sao todos de graca e duvido que esses aventureiros de video da rede iriam se importar com fans fazendo legendas pra outras linguas? alguem acha que os pequenos ligam?

  88. LoL disse:

    Legenda deveria ser Fair Use 🙂

  89. Dantalion disse:

    Primeiramente a resposta para a pergunta do rodapé: não. Mas isso não acontece só aqui no Brasil. Pra começar que nem pensando em nós estão os ripadores de series quando colocam as series nos torrents. O alvo deles é o publico americano que tem internet e quer ter o conforto de assistir o conteudo que desejar a hora que quiser. Afinal de contas voces acham que conexão de 30MB que tem la nos EUA ou 200MB do japão serve pra que? baixar docs do word? Por favor acho que desda criação da internet o objetivo foi distribuição/troca de conteúdo digital MASSIVO!!! Ou então não precisariamos nem de conexão ISDN, discada mesmo faria o trabalho com folga. O primeiro daqui que achar que qualquer download de material com copyright é crime, tem a decencia de cancelar sua banda larga e volta para discada isso provaria que alguns não são hipócritas. Atualmente não disponho de capital pra arcar nem com 5% do conteudo que eu usufruo da internet, mas sinceramente nem que eu tivesse, não que eu desmereça o trabalho da industria de entreterimento audiovisual mas se antes deu nascer e ate hoje, não contribui com quase nada para o crescimento da mesma e ela se encontra mais forte que nunca então para que eu deveria me importar? Para encher bolsos de empresarios gananciosos(vide exemplo do BD)? Para contribuir ainda mais com impostos pra encher os bolsos dos malditos politicos? Porque mesmo se todos comprassem seus dvds originais de series isso so aumentaria o rombo em nossos bolsos, a qualidade do produto não aumentaria, os preços não diminuiriam e nem o aumento da arrecadação desses impostos seria utilizado em beneficio do povo então que se ファッッッック os associados da/e a ACPM.

    Meu dinheiro tem destino melhor, o maximo que gasto com entreterimento AV é quando pago minha ADSL. Agora eu vou falar sobre um fato que ocorre em um bairro pobre vizinho do meu(talves alguem ja tenha presenciado algo parecido), nele existe uma locadora que aluga filmes/series/novelas/desenhos gravados em dvd de conteudo disponivel da net. O valor de locação: R$1,00 , eu acho isso muito nobre da parte do dono da locadora, ele corre um risco fazendo isso(pirataria) mas cada criança e adolescente pra quem ele loca ja é menos um que possa vir a meu bairro para me assaltar. E esse é só um dos muitos exemplos de quando a pirataria comtribui a melhora da qualidade de vida e enrriquecimento cultural da maioria da sociedade(e não so de uns malditos filhinhos de papai que quando crescerem vão ser ladroes que nem o daddy politico). Pra finalizar,tenho certeza que a maioria esmagadora faz o mesmo que eu(download de series) mas destes poucos admitiriam. PAÍS HIPÓCRITA!!!

  90. Alexandre disse:

    Acho que um dos grandes atrativos dos usuários de filmes/series baixados da internet é pura e simplesmente a disponibilidade de assistir o que vc desejar no horário que desejar e da forma mais atualizada possível. Vivemos em um mundo moderno onde a dinâmica diária impede pessoas “ativas” de estarem sentadas frente a TV para ver uma determinada série as 23hrs por exemplo. A mídia deve ser no mínimo flexível e personalizada a necessidade diária do usuário. Sem falar que em muitos casos, mesmo na TV paga, os horários não são respeitados, a qualidade do filme/legenda são terríveis… claro sem levar em conta os meses de atraso em relação ao lançamento do filme/episódio original.

  91. LoL disse:

    Filmes Open Source(tipo software livre) existem e existem ate meios de producao Open Source(que acho eu a melhor traducao eh “Fonte Aberta”) como o curta do Big Buck Bunny que foi criado com uma licenca copyleft da CC(Creative Commons), foi financiado e produzido com a venda de DVDs o que prova a viabiliadade do modelo, nao ficaram milionarios mas ganharam dinheiro e o filme eh aberto sendo que voce pode usa-lo pra qualquer coisa desde que mantenha os creditos.

    E eh deprimente o que a industria anda fazendo com os direitos civis em prol de um grupo pequeno da populacao pelo mundo, acho que eh importante identificar os problemas primeiro pra poder se procurar por solucoes e aqui alguns exemplos:

    – Nova Zelandia passou uma lei de resposta incremental onde se o sujeito for avisado 3 vezes de que estava fazendo downloads ilegais ele eh desconectado. Oras agora a funcao de fiscal, juri e juiz eh de uma empresa? Onde ficou o “inocente ate que se prove o contrario”? Como eh que essas empresas conseguiram o poder de ditar pros outros o que eh legalmente legal e o que nao eh? Quando foi que deixaram isso acontecer? Onde esta o balanco o equilibrio? Engracado eh que a ideia foi alardeada pelo governo frances que nao pos em pratica mas foi posto por outro pais, quanto tempo ate alguem ter a ideia genial de implementar isso no Brasil?

    – ACTA que vai ser um acordao internacional e que o Brasil provavelmente vai entrar se se levar em conta que assinou e ratificou todos os tratados de copyright existentes no mundo e ironicamente nao assinou quase nenhum tratado que de direitos internacionais aos seus cidadoes(ex: carteira de motorista internacional do Brasil soh eh valida pra alguns paises no mundo pq o governo brasileiro nao achou que era importante). O ACTA propoe que as leis de copyright devem ser mais rigidas e com mecanismos legais pra fazer valer suas leis isso significa punicao se o povo achava que a situacao jah era ridicula hoje espera esse negocio passar, o nivel do ridiculo vai pra extratosfera e tudo pra beneficiar uma pequena fracao da populacao mundial.

    – Onde esta a heranca cultural da populacao que foi roubada do direito ao acesso livre a sua propria cultura com extensoes de copyright atuais que se extendem 75 anos apos a morte do criador. Lembrando que a primeira lei de copyright no mundo tinha soh 15 anos de duracao.

    A influencia dessa industria cresceu demais e esta tirando o equilibrio da sociedade. A populacao se sente sufocada e perseguida e a industria se sente roubada e continua marchando em direcao ao abismo. Gosto do capitalismo pq ele pressupoe que grupos individuais sao mais capazes de entender seus problemas e por consequencia resolve-los nada eh mais verdadeiro do que a industria do entretenimento tentando brigar pra conseguir manter seus lucros e a populacao ignorando soh quando o estado entra na briga eh que a balanca muda em favor de alguem.

    Se todo mundo pudesse pegar o que quer a hora que quer dificilmente existiria um incentivo pra producao de alguma coisa e no entanto se os outros forem permitidos a perseguir todo mundo o resultado eh o mesmo pq ninguem pode usar nada de ninguem.

    Eh ruim que nao se pague pelo que se usa e eh ruim que se pague demais onde esta o balanco?

    Legendas facilitam acesso a obras cientificas e nao soh pra diversao. O fato de que legendas tambem sao usadas pra fins ilicitos nao significa que nao tenham uma utilidade como por exemplo legendas pra programas como os do discovery channel que podem ser usados em salas de aulas isso eh ruim?.

    A solucao da industria eh proibir tudo o que gera um monte de problemas e liberar tudo tambem nao eh aceitavel entao vamos ter que usar a peneira pra definir o que eh aceitavel e o que nao eh aceitavel e isso vai ser uma briga interessante.

    Do meu ponto de vista legendas nao constituem alteracao da obra muito menos uso indevido o que caracteriza o uso indevido pra mim eh o uso delas junto com material ilegal. Vejo legendas como complemento, sendo um produto diferente que complementa outro produto mais ou menos como tem gente que fabrica aparelhos de telefones jah imaginou se todo fabricante tivesse que pagar royalties pra telefonica e a telefonica tivesse o poder de dizer se voce pode ou nao fabricaar alguma coisa?.

    Mas minha opiniao eh soh isso uma opiniao no fim das contas o que conta mesmo eh o que o juiz entende la no forum.

  92. Fulvio Ramos disse:

    Ah, enfim, como eu disse, legenda é ilegal NA OPINIÃO de quem escreveu. Direito é minha área e eu sei o que falo, não há um sim ou não, legenda não é ilegal ao meu ver.

    Enfim, mas nada mais normal que um cara que trabalha falando de cinema e entretenimento, que se entope de brindes e viagens pagos pelas produtoras que venha falar que legenda é ilegal.

    Claro, se ler isso vai responder que não é bem assim e biriri, que é a opinião, mas não vai fazer eu mudar de opinião de que isso nada mais é que um jabá.

    Me preocupa por ser alguém respeitado e formador de opinião com milhares de leitores mas sei que é algo normal e que não vai acabar.

  93. Barretão disse:

    @ Fulvio
    Prove sua teoria legalmente que eu mudo minha opinião, pois aí, a lei vai ter mudado e tudo isso se torna algo 100% positivo! 😉 E pára de mimimi! =D

  94. Juliana disse:

    assumo sem vergonha alguma que baixo séries e dvds via torrent (e música também, óbvio). não utilizo as legendas pq nao faço questão, mas que baixo ilegalmente, baixo. e não tô nem aí!

    mas, quer saber? se a apple store funcionasse no brasil, eu baixaria todos os cds e filmes por lá, eu iria pagar por esse serviço. eu juro! acho que a apple store seria a melhor solução SIM.

    uma outra solução seria (meio improvável, mas enfim) passar as séries no mesmo dia aqui no brasil. pra mim não iria funcionar esse lance de “1 ou 4 semanas depois”, PRA MIM TERIA QUE SER NO MESMO DIA, aí sim eu iria assistir pela tv, no mais tardar, no dia seguinte, caso contrário… eu iria baixar. ou, se a apple store existisse no brasil, eu compraria o episódio no dia seguinte.

    esse pessoal é muito BURRO, eles têm a solução em MÃOS E NÃO FAZEM ABSOLUTAMENTE NADA PARA RESOLVER O PROBLEMA.

    então VAMOS BAIXAR MESMO.

    mas é fácil defender a apcm quando se mora no exterior e se tem o luxo de assistir às estréias… queria ver se tivesse que esperar meses…

  95. Lucas Leite disse:

    Exemplo: Se o LOST desse no Brasil, no mesmo dia, ou no dia seguinte, que dá nos EUA (e legendado, porque dublado não conta), eu seria um que não baixaria o episódio e assistiria na TV, mesmo que me sujeitando a um horário específico.

    Agora, está estreando agora no AXN a 5ª temporada. E todos que assistem dos EUA, sabem que já estamos no 8º episódio, dois meses depois.

    Simples assim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s