Arquivo de outubro, 2008

Véspera de Halloween garante empolgação aos fãs de Supernatural, mesmo com escorregada na parte mitológica.

Melhor série ligada a mitos sobrenaturais em atividade na TV norte-americana, Supernatural exibiu ontem o episódio It’s the Great Pumpkin, Sam Winchester, o especial de Halloween da quarta temporada. Desta vez, os irmãos Winchester precisaram enfrentar um demônio ligado às origens do Dia das Bruxas, porém, o grande atrativo do capítulo é a presença dos anjos Castiel e Uriel, que surgem com propósitos misteriosos e uma missão fundamental para a Batalha entre Bem e Mal.

Contém spoilers.

(mais…)

Anúncios

Confira matéria do programa Metrópolis sobre o filme Max Payne, exibida ontem. Entrevistas de Mark Wahlberg e do diretor John Moore. As entrevistas completas, incluindo Mila Kunis, semana que vem, aqui no SOS Hollywood!

Logo logo, entrevista com o cantor Seal!

Depois de polêmica criada quando o SOS Hollywood anunciou um possível final para a série Supernatural, o astro falou exclusivamente à nossa reportagem e confirmou o ocorrido, mas felizmente, nada aconteceu com o seriado, que segue como o melhor em exibição no horário nobre norte-americano.

Em meio a inúmeros depoimentos enérgicos contra o do SOS Hollywood realizados no começo do ano quando noticiamos o eventual cancelamento de Supernatural por cansaço do ator Jared Padalecki, um dos fãs sugeriu: “por que não vai perguntar direto para o Jared?” Desafio aceito, desafio cumprido.

Na última semana, durante a cobertura exclusiva do Scream Awards 2008, em Los Angeles, conversamos com Jared Padalecki, co-astro de Supernatural e que em breve aparece em Friday The 13th, novo filme que conta a história de Jason Vorhees.

Para quem não se lembra, o SOS Hollywood teve acesso à informação de que o ator Jared Padalecki estaria cansado pelo ritmo do seriado e que, internamente, a série estava praticamente com os dias contados. O sucesso do programa refletiu na força de seus fãs que se manifestaram contestando a informação, chegando inclusive a mobilizar o canal E! para “saber da verdade”, afinal, informação de brasileiro não vale nada mesmo, não é? Pois bem, essa novela chega ao fim da melhor forma possível.

Felizmente, a série não foi cancelada e segue de vento em popa se preparando para o episódio especial de Halloween e o SOS Hollywood tirou a limpo a história toda diretamente da boca de Jared Padalecki. Confira a entrevista:

Jared, uma notícia abalou os fãs brasileiros no começo do ano sobre você ter pensado em desistir de tudo por estar cansado antes da greve. É verdade?
É sim, mas foi algo que saiu do controle e cresceu demais. Estávamos conversando sobre o quão intensa estava a produção e alguém pode ter entendido errado, mas o que importa é que estamos muito felizes com o programa e bola pra frente.

(mais…)

Corinthians Eternamente Campeão!

Publicado: 25/10/2008 em Pessoal

Estamos de volta! E ano que vem na briga pela Série A!

Agora sem Dualib, MSI ou esquema de safadeza, que retorne o bom e velho Sport Club Corinthians Paulista! O campeão dos Campeões!

A noite fresca avança sem pressa.

A luz fraca ilumina a sala de leitura. Sombras estáticas compõem o cenário marcado pelos móveis escuros, de madeira maciça e estofado de couro lustroso. Não venta e apenas algumas folhas da árvore perto da grande janela se movem quando a brisa passa.

O som da velha Remington ecoa pelo ambiente, lutando contra o silêncio e a calma tão comuns àquele lugar. Toc. Toc. Toc. Toc. Uma palavra. Toc. Toc. Toc. Mais uma. E as folhas de sulfite ganham nova forma, tatuadas ao bel- prazer dos caracteres de chumbo. A batida é forte, a fita de duas cores com a camada preta já gasta sobe, o papel cumpre sua função. Toc. Toc. To…

O pensamento é interrompido. Você dorme no divã ao lado. Penso em seus sonhos, como foi seu dia, se gostou do jantar que preparei. A boca entreaberta permite que palavras não ditas ganhem o ar. Seus lábios se movem, mas sem som. Algo importante acontece em seus devaneios.

Toc. Toc. Toc. Tic. Toc. Toc. A datilografia continua. A caneca de chocolate quente com licor irlandês e biscoitos espalham seu aroma adocicado e reconfortante no canto onde está a escrivaninha. Cada uma de suas gavetinhas contém uma história, uma função, um momento em que elas deixaram de ser peças inanimadas para inspirar algumas daquelas letras. Toc. Toc. Uma interrupção. Como descrever a maçaneta daquela porta tão importante na trama? Os dedos tamborilam e os olhos deslizam pelo cenário e fixam-se no pequeno puxador da gaveta no topo direito superior. O puxador parece aumentar, ganha proporções de gente grande, ali não existe mais uma gaveta. Agora é uma porta e ela leva à solução da história. Seus detalhes deixam a simples realidade de um pedaço de mobília para ganhar a eternidade. Toc. Toc.

O papel cumpre sua função. As últimas batidas de algo que começou há anos. Milhares de páginas tatuadas pela eternidade. Borrões em algumas delas, outro grande número de folhas amassadas no cesto de lixo. Não há espaço para erro ou desleixo. Toc. Tic. Toc. Toc. Toc. Os dedos estão cansados. Você continua dormindo.

Uma das bonequinhas se move na grande poltrona almofadada. Ninguém percebe. Ela se move novamente e, em instantes, um cachorro de pelúcia se junta a ela. Ambos olham para você. Seus olhos de acrílico eternamente fixos contemplam seu sonho, pensativos, profundos, imutáveis. Eles devem ter trocado confidências sobre o que viam, coisa de bichos de pelúcia, os melhores companheiros. Sempre dispostos, sempre presentes. Para rir e se molhar, voar pelo ar ou perder um braço – ou uma asa, no caso das fadas – sempre que necessário. Mas sem nunca reclamar. O som da máquina de escrever fica mais leve. Tec. Tec. Tic. Tec…

Um gole de chocolate quente anima o espírito. Uma recompensa merecida. Falta um parágrafo. O gosto do licor provoca lembranças boêmias, das noites sem dormir – sempre escrevendo – e dos poemas imaginados durante as perambulações na vila. Lembranças. Muito tempo atrás. Antes de você. Antes do peixe-palhaço que, agora, compartilhava a poltrona com o pug maltrapilho, a bonequinha e uma caixa misteriosa. Perplexidade. Por alguma razão, o relógio entra no campo de visão. É madrugada. O olhar se volta para você.

Você ainda dorme.

Os dedos deslizam pelas teclas da Remington com leveza e deleite. A pilha de páginas ao lado ganha a importância de um troféu. Um grande prêmio, como se todas aquelas folhas fossem uma preparação para aquelas últimas linhas. Tec. Tec. Tic. Tec… enfim, a conclusão. “Ele tomou a decisão que mudaria o mundo”. Toc. Ponto Final.
Girar o controle de pressão da folha para retirá-la da máquina foi instintivo. Era a última. A página suspensa em frente aos olhos, como a um filho recém-nascido. Um respiro profundo valoriza o momento. A cadeira de couro marrom rodopia na sua direção para apresentar o rebento, mesmo que de forma silenciosa. O movimento chamou a atenção para a poltrona com seus ocupantes misteriosos. vazia. Como se nada tivesse acontecido. Um sonho acordado talvez? O giro se completou.

Você ainda dorme, mas não está mais sozinha. O cachorro, o peixe, a fada, um par de sapatos, uma boneca gigante e a tal caixa misteriosa ficam ao seu redor. Um cenário improvável. Licor demais? Sono atrasado? Devâneio provocado pela felicidade do momento? E foi quando ela apareceu.

A pequenina surge em meio aos brinquedos passeadores. Ela a idolatra, contempla e falava baixo com seus amigos inanimados sem ligar para o horário ou para a escuridão. Olha para mim. Seu sorriso angelical cruza a sala. Eu sei o que vai acontecer. Você não.

“MAMÃAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAEEEEEEEEEEEE!”

A noite é uma criança.

O SOS Hollywood foi o único veículo brasileiro presente na cobertura do Scream Awards, que aconteceu no último sábado em Los Angeles. Embora muita coisa tenha acontecido e ainda leve uma semana para a matéria especial ir ao ar, vocês já podem conferir alguns vídeos memoráveis do que aconteceu dentro do Greek Theater! E os fãs de Supernatural que se preparem! O Jared foi e eu falei com ele! hehehehe!

Tim Burton chegou de balão para receber sua homenagem, entregue por ninguém menos que Winona Ryder. Segundos antes, Gary Oldman esteva no palco. Bela reunião.

Marilyn Manson deu azar com o microfone. Deixaram o suporte baixo demais para ele, ele se abaixou e se esforçou em pról do show, mas nada deu certo. Precisou repetir a apresentação de Mutilação Memorável, que ficou com Teeth!

Robert Downey Jr não apareceu, pois está filmando Sherlock Holmes em Londres, mas mandou um recado. Bom, algo assim, já que Guy Ritchie não deu sossego ao ator.

Rosario Dawson, forever Rosario!

Zombie, Rob Zombie! Sempre ele! :p

Milla Jovovich é linda de morrer! Sério! A mulher é um espetáculo ao vivo. Mas é lesada ao extremo! Assista e tire suas próprias conclusões! Acho que ela tava manguaçada! :p Deve ser engraçado entrevistar essa doida!

Como vocês viram aqui, estrevistei Kiefer Sutherland pelo filme Espelhos do Medo. Embora a entrevista exclusiva esteja nas páginas da Sci-Fi News de outubro, já nas bancas, gostaria de compartilhar algumas das perguntas com vocês. Com vocês, Jack Bauer! =D

O conceito de Espelhos do Medo reflete mais a idéia assustadora de Nietzsche ou a fantasiosa de Lewis Carroll?
Qualquer uma das duas assusta bastante, se analisarmos com calma. Espelhos sempre carregam esse estigma de portais ou símbolos de dualidade, mas toda vez que se busca muito por um novo sentido ou algo oculto, o resultado não é dos melhores. De qualquer forma, sempre vi esse filme muito com um drama focado na família, então, se estamos falando em dualidade, devemos olhar para as duas realidades que essas pessoas vivem. A idéia de que entre os dois lados de qualquer história sempre mostra a verdade no meio do caminho sempre me interessou, gosto de trabalhar isso. Confesso que depois de tudo isso não consigo olhar para um espelho antes de pensar duas vezes e há mais coisas para se ter medo do que se ele olhar de volta ou se um coelho maluco aparecer do outro lado.

(mais…)